maio 6, 2020

Como montar um roteiro para o Marrocos

São muitas as possibilidades no Marrocos, mas acho que a decisão mais importante antes de montar o roteiro é se perguntar se você quer visitar o deserto do Saara ou não. Para nós, foi o ponto alto da viagem! Apesar do caminho longo, e eu no meu 4º dia de piriri, foi inegavelmente incrível ter a experiência daquela imensidão de areia sem ninguém ao redor. Me fez pensar na vida e me deu uma gratidão enorme por estar ali!

Detalhe importante: em todos os roteiros nós recomendamos a ida para o deserto em Merzouga, mas existem outras opções, você pode entender melhor na descrição das cidades.

O maior desafio desta viagem são os deslocamentos, então nós absolutamente não recomendamos deixar para decidir como vai fazer chegando lá. Não é Europa, tenha tudo muito bem planejado antes de ir.

Neste post nós vamos guia-lo nas escolhas mais importantes antes de fechar sua viagem.  

Nós contamos uma de nossas experiências por lá no post: NOSSA VIAGEM PELO MARROCOS, não deixe de ler.

COMO CHEGAR NO MARROCOS

Você tem basicamente 3 opções de rota: pela Espanha, por Casablanca e por Marraquexe. Nós recomendamos uma viagem de 10 dias porque é tudo muito interessante e os deslocamentos são intensos, porém você consegue fazer uma viagem mais rápida.

CHEGANDO PELA ESPANHA

É um roteiro bem interessante, que nós já fizemos: você voa até Málaga (foto abaixo), desce para Tarifa, onde vai pegar a balsa que cruza o Estreito de Gibraltar. Esta parte da Espanha é linda, tem castelos e fortificações a beira mar, a comida é deliciosa e os vilarejos muito charmosos.

Descendo da balsa você estará no Marrocos, na cidade de Tangier, lugar interessante, bem menos turístico. De lá você passa por Chefchaouen, a cidade azul, e segue para Fes, uma das capitais imperiais, onde você deve ficar por no mínimo 2 noites. De Fes você segue em direção a Merzouga, onde é o Sahara. Após o acampamento no deserto, você segue para Ouarzazate, onde vai dormir por 1 noite em uma kasbah. Depois você segue para Marraquexe, as paisagens são incríveis, você vai passar pelas Montanhas Atlas e vários vilarejos berberes. Recomendamos pelo menos 2 noites em Marraquexe.

CHEGANDO POR CASABLANCA

Casablanca é a cidade que recebe a maior quantidade de voos, inclusive há voos diretos saindo de São Paulo e Rio de Janeiro. Nós também já fizemos esta rota e recomendamos. Casablanca não é uma cidade tão interessante, então planeje uma passada rápida. De lá você segue para Fes passando por Rabat, Meknes e outras atrações. É possível inserir Chefchaouen, mas vai adicionar à viagem algumas horas dentro do carro. De Fes você segue o mesmo roteiro que detalhamos acima, terminando a viagem em Marraquexe.

CHEGANDO POR MARRAQUEXE

Quem tem menos tempo ou não quer se deslocar tanto, pode voar para Marraquexe, fazendo apenas uma conexão em Casablanca, tanto do Brasil quanto da Europa. Você tem algumas opções de roteiro: pelo menos 2 noites em Marraquexe e se quiser visitar o deserto pode fazer 1 noite em Ouarzazate e 1 noite em Merzouga, no acampamento. Se tiver mais tempo, coloque uma visita a Essaouira, uma cidade balneária a 2h de Marraquexe.  

Todo mundo fica em dúvida sobre como é voar Royal Air Maroc, a companhia aérea marroquina. A vantagem é voar direto para Casablanca e voltar de Marraquexe com boas opções de conexão em Casablanca. Quando nós utilizamos, não tivemos problemas. O check –in no aeroporto foi tranquilo, mas nós tínhamos contratado uma empresa que agiliza as coisas. A aeronave é nova e confortável, com telas de entretenimento grandes e mesmo na classe econômica, o espaço interno não deixou a desejar para nenhuma outra companhia europeia (ou seja, é pequeno, rs). Foi um voo bastante tranquilo e com bom serviço.

VANTAGENS E DESVANTAGENS DE FECHAR TUDO NO BRASIL.

Nós recomendamos que você já saia do Brasil com os transferes e tours contratados de uma empresa que você já tenha referência. Você pode encontrar serviço mais barato ao chegar lá, mas a segurança e a qualidade do motorista e do guia em um país desconhecido e com uma cultura totalmente diferente são fatores decisivos para o sucesso da viagem. Uma das coisas que me deixou tranquila durante a nossa viagem é que nosso motorista era muito bom, porque a estrada no interior do país é realmente muito sinuosa.

Além disso, você paga tudo em real e parcela, sem risco de flutuação cambial; e tem suporte na sua língua em caso de imprevistos.

EM GRUPO OU PRIVATIVO?

EM GRUPO

A vantagem de fazer o tour em grupo é o custo. As operadoras oferecem roteiros em ônibus de até 56 pessoas, mas na verdade os grupos acabam sendo menores. Já vimos grupos de 40, 30 e até 15 pessoas. Se você gosta de conhecer pessoas pode ser uma boa, já que os pacotes são comercializados no mundo todo.

Quando você compra um pacote, não pode customizar nada: as cidades, hotéis, paradas e horários são os pré-definidas. Além disso, você fará a viagem toda com o mesmo grupo de pessoas.

Os pacotes para o deserto saem de Marraquexe, então para quem vai fazer o tour de Fes, eles não oferecem a melhor logística. O deserto fica entre Fes e Marraquexe, o natural seria visitá-lo após Fes, no caminho para Marraquexe.

Você sabia que 3/4 do deserto são de cascalho e só o restante de areia e dunas? Por isso é importante ter atenção na escolha do pacote do deserto. Entenda melhor na descrição das cidades, mais abaixo.  

PRIVATIVO

Se der para investir um pouco mais na viagem, nós recomendamos que você faça um roteiro privativo, mas sempre com um guia. É a maneira mais confortável e segura de conhecer um país de cultura tão diferente.

Você pode contratar um carro ou uma van, com motorista e guia. Parece bobagem, mas você vai passar bastante tempo nas estradas, que são desconfortáveis e difíceis de navegar. Não tem preço você poder parar a hora que quiser para comer, para fazer suas fotos, para fazer comprinhas, além de poder adicionar paradas inusitadas no caminho.

Não há necessidade de manter o carro e o guia em Marraquexe. Nós recomendamos ficar com o guia no primeiro dia para visitar as áreas mais culturais e depois deixar os dias livre para navegar sozinho. É um lugar bem mais internacional, com vida social e noturna, mais tranquilo para o turista.

QUE CIDADES INCLUIR NO ROTEIRO?

Nós somos suspeitas para falar, pois amamos explorar! Segue um descritivo das principais atrações das principais cidades do Marrocos.

DESERTO DO SAARA

No mapa você pode ver os principais pontos de visita ao deserto. Veja que Marraquexe está à esquerda no canto superior, é longe!

Quando pensamos no Saara nos vem à mente aquela areia dourada com dunas enormes, certo? Esta paisagem pode ser vista em Erg Chebbi ou Erg Chigaga, os maiores conjuntos de dunas do Marrocos. 

Merzouga é um pequeno vilarejo berbere, ao pé das dunas de Erg Chebbi. É pra lá que nós recomendamos você ir. A foto abaixo foi tirada por nós e não tem filtro. É assim, surreal mesmo.

No caminho para Merzouga, seja na ida ou na volta (dependendo se você sai de Fes ou Marraquexe), você deve passar por algumas das atrações mais incríveis do país: Imouzzer Kandar, Midelt, Vale Ziz, Erfoud, Todra Gorges, Tinghir, Boumelane, Vale dos Dades, El Kelãa M’Gouna, Ouarzazate, Ait Benhaddou, Tizi N’Tichka.

Clique aqui e leia nossa experiência no deserto.

Erg Chigaga fica a 60km da cidade de Mhamid e oferece uma experiência um pouco mais selvagem, pois o acesso é mais difícil, a viagem pode levar até 5 dias a camelo ou 2h em um 4×4.

Algumas pessoas estendem o tour de Merzouga para Ouzina, para ver os povos nômades mais autênticos e percorrer o caminho que um dia foi parte do Rali Paris-Dakar. Lá a paisagem é de deserto de pedras.

Por ser um pouco mais perto de Marraquexe, depois de Merzouga, o ponto mais visitado são as Dunas de Tinfou, próximo à cidade de Zagora. A paisagem é mais parecida com a de Ouzina.

CASABLANCA

É a maior cidade do país, centro industrial e comercial, com estilo arquitetônico Art Déco herdado da colonização francesa. A principal atração é uma das maiores e mais importantes mesquitas do mundo: Mesquita de Hassan II.

CHEFCHOUEN

Você já deve ter visto fotos da cidade azul. Em uma de nossas viagens, nós escolhemos dormir por lá e a experiência foi incrível. Apesar de ser rota turística, é uma cidade muito conservadora e calma. Você vai ver mulheres vestidas de hijab e burka e vai se sentir em um mundo completamente diferente. Ela fica em um vale cercado pelas Montanhas Rife e por isso tem uma temperatura mais baixa, esteja preparado para sair do calor e entrar no frio.

Em poucas horas você caminha pela pequena cidade e cobre todas as atrações naturalmente. A praça Uta El-Hamman é o coração da medina, com lojas e restaurantes, e é também onde fica a antiga Kasbah. Vale a pena entrar para visitar a antiga prisão, ver ferramentas usadas por humanos na pré-história e ter uma vista panorâmica da cidade.

ESSAOUIRA

Essaouira é uma cidade a beira mar cercada por uma muralha que delimita a medina. A paisagem fora da muralha é encantadora, você verá os barquinhos do porto, a fortaleza Borj El Barmil e camelos deitados na praia esperando para fazer um passeio!  Na medina fica a cidade antiga, Patrimônio Mundial desde 2009, onde você encontrará vários restaurantes, lojas e e souks. Não deixe de comprar produtos de óleo de Argã.

Você consegue visitar todas as atrações em poucas horas, mas se tiver tempo vale incluir uma noite para sentir o clima do lugar. A vibe de lá é mais parecida com Marraquexe, mais internacional e liberal, até um pouco hippie. Este lugar tem algumas curiosidades: virou point de surf, já foi visitada pelo Jimmi Hendrix e já apareceu no famoso seriado Game of Thrones.  

FES

Fes é a capital cultural e religiosa da cidade. Sua medina é uma das maiores do país, com inúmeras atrações, lojas e restaurantes. Nós recomendamos no mínimo 2 noites, mas se tiver tempo vale ficar mais, é um lugar único e encantador.

As compras são melhores em Fes do que em Marraquexe, mas a medina de Marraquexe é mais fácil de se achar e dá para ir tranquilamente sozinho; na de Fes nós recomendamos um guia, principalmente para mulheres.

Seguem algumas das principais atrações.

FEZ EL JDID: Considerada a “nova medina”, acolhe o Palácio Real e o Mellah, bairro judeu.

MAUSOLÉU MOULAY IDRISS: Santuário dedicado ao padroeiro e fundador da cidade. A obra foi concluída em 1824 e no conjunto há residência, mesquita e fonte. A visitação da parte interna é permitida apenas para muçulmanos.

MEDINA MEDIEVAL: Maior medina medieval intacta do mundo, Patrimônio Mundial, tem em torno de 10.000 ruas repletas de cultura, música, cores, cheiros e sabores.

FONTE NEJJARINE: Fonte mais famosa da cidade, antigamente a população buscava água potável, hoje serve de ponto de encontro (o pessoal adora se refrescar ali!).

MESQUITA E UNIVERSIDADE KARAOUINE: É também uma visita externa, porém super interessante, já que é a mais antiga universidade do mundo! A área do complexo é enorme, mas bem escondido nas pequenas ruas da medina.

CHOUARA TANNERIE: Os curtumes de Fes são dos tempos medievais e por isso fazem parte das principais atrações da cidade. É interessante vivenciar o processo, mas o cheiro é muito forte, pondere!

SOUKS: Nos souks da Medina, você encontra tudo o que pode imaginar, além dos produtos típicos marroquinos, como tapetes, cerâmicas, couro, temperos e pasheminas. São 3 os principais:

Souk Attarine: um dos mais animados e conhecidos por vender produtos da medicina tradicional do Marrocos.

Souk da Hena: é conhecido pelos cosméticos: sabão preto, hena e água de rosas.

Souk Tillis: conhecido pelo comércio de tapetes e artigos em ferro e cobre.

Quem vai a Fes não pode deixar de fazer uma day trip para conhecer Meknes, uma das capitais imperiais; e Volubilis, que foi o principal centro administrativo do império romano fora do Egito e hoje são ruínas que constituem um sítio arqueológico parcialmente escavado.

MARRAQUEXE

Marraquexe é uma loucura. É uma cidade cultural, internacional, cosmopolita e luxuosa. É a quarta maior cidade do país, também conhecida como a “cidade vermelha”, a “pérola do sul” ou a “porta do sul”. Você pode escolher passar o dia na piscina de um Riad, se perder pela medina, visitar os pontos turísticos, fazer um banho turco, uma aula de culinária ou comer no Mc Donalds, rs. Tem tudo para todos os gostos.

À semelhança das outras cidades marroquinas, Marraquexe tem uma parte antiga cercada de muralhas, com ruas cheias de lojas e vendedores de rua, Património Mundial desde 1985. Sua parte nova é rodeada por bairros modernos e algumas atrações interessantes.

Seguem alguns dos principais pontos de interesse.

JARDIM MENARA: Conta com um pequeno palácio à beira do lago e um jardim oliveiras, que tem um interessante processo de irrigação, utilizando água das Montanhas Atlas.

TUMBAS SAADIES: Necrópole onde estão os túmulos da família Saadian, onde há três mausoléus rodeados por lindos jardins.

PALÁCIO BAHIA: Um dos principais palácios da cidade, tem uma área de 8 mil m2 que ainda pertence à família real. A arquitetura é deslumbrante.

KOUTOUBIA: Próxima à a praça Djemaa El Fna, essa mesquita não permite a entrada de não muçulmanos, mas isso não é motivo pra desanimar: a arquitetura externa é linda, em tons de terracota e cheia de detalhes.

MUSEU DAR SI SAID: Museu de artesanato tradicional com uma coleção rica em trajes de época, tapetes, cerâmicas, jóias, armas, entre outros.

MEDINAS E SOUKS: A Medina é composta pelas tradicionais ruelas de comércio intenso, gastronomia e cultura. Os Souks são divididos por setores: há o Souk de couros, o de sapatos, de joias, roupas e alguns outros.

DJEMAA EL FNA: Cheio de história, é o ponto turístico mais visitado da cidade. Era nessa praça que as decapitações do império eram realizadas, mas atualmente é um agradável (porém totalmente caótico) lugar para passeio, compras de ervas, flores e frutos. É aqui também que encontramos os encantadores de serpentes e outros animais em exposição. Nós somos contra a exploração dos animais, alguns ficam fechados em caixas, mas se você fotografar, deixe dinheiro. A população é pobre e precisa de ajuda.

JARDIM MAJORELLE: Fora da Medina, é um jardim belíssimo, com espécies de plantas e árvores como cactos, bambus, bananeiras e coqueiros de muitos lugares do mundo. Foram 40 anos de construção e, após o falecimento do fundador, foi comprado por Yves Saint Laurent, que hoje é seu administrador. O espaço conta com um museu dedicado à história berbere.

MEDERSA BEN YOUSEF: Construída no século XVI, abrigava um centro de ensino de grande importância no século XIX. Nele, os melhores alunos da região estudavam o Alcorão, além de matemática e medicina. Era ali que os alunos também moravam e se dedicavam à religião (há uma pequena mesquita), podendo sair do espaço apenas às sextas-feiras.

RUÍNAS DO PALÁCIO EL BADI: Construído no século XVI para comemorar a vitória contra os portugueses na Batalha dos Três Reis, o palácio abrigava o sultão saadiano Ahmed al Mansur, e continha mais de 300 quartos. Seu nome significa “O Incomparável”, referência à grandiosidade e primor nos materiais da construção.

COMPRAS: Se quiser dar uma olhada em lojas de design e moda que trazem um olhar mais atual, a pedida é fazer um tour pela zona industrial Sidi. A área começou como uma parceria entre estrangeiros e artesão marroquinos, e hoje é um lugar repleto de design, novos cafés e pequenos restaurantes, ótimo para ver um outro lado da cultura.

RABAT

Rabat é a capital administrativa do país e apesar de muito charmosa, pode ser visitada em meio período ou 1 dia. Abaixo descrevemos as principais atrações.

PALÁCIO REAL MECHOUAR: Residência oficial da família real marroquina, tem arquitetura imponente.

JARDIM E KASBAH OUDAYA: É uma cidade medieval construída pelos soldados árabes, próxima ao mar, como um forte. É conhecida por ser uma cidadezinha dentro da cidade, com ruas floridas e calmas e o famoso jardim Andaluz. Experimente um chá de menta no Café Maure e admire a bela paisagem do local.

MAUSOLÉU DE MOHAMED V: Necrópole que representa a arquitetura tradicional marroquina, com muralhas e jardins belíssimos.

TORRE HASSAM: Considerada uma obra-prima arquitetônica, era para ser a maior mesquita do Marrocos, mas Yacoub El Mansour faleceu antes de terminar o trabalho. Também é conhecida por abrigar o túmulo de Mohammed V, rei do país.

TANGIER

Tangier é uma cidade grande com muitas características modernas ao mesmo tempo que preserva a história e a arquitetura tradicional. Não se engane ao ler a palavra “moderna”, é uma cidade muito conservadora, você não deve andar com a pele a mostra, a maioria das mulheres usa hijab ou burka. Ela não é uma cidade com muitas atrações, mas não deixa de ser charmosa, se você entrou no Marrocos pela Espanha vale a pena conhecê-la. As principais atrações são a medina e a kasbah (muito mais calmas que as demais), mas se você tiver mais tempo deve visitar também os seguintes pontos: vista panorâmica do hotel Continental, Gruta de Hércoles, Farol de Tangier (ali pertinho tem um mirante que marca o encontro do Oceano Atlântico com o Mar Mediterrâneo) e o Parque Perdicaris.

Quando estivemos por lá, nos mostraram uma casa linda dentro da medina, com um painel pintado no muro e nos disseram que Pablo Picasso costumava passar os verões ali e que o muro foi pintado por ele. Nunca conseguimos confirmar a história.

Curtiu? Entre em contato com a gente para fazer um orçamento!

Deixe um comentário

avatar