out 3, 2017

Só Para Mulheres | Marrocos

O Só Para Mulheres esteve no Marrocos! Fizemos este post pra facilitar a sua viagem.

O Marrocos é separado da Espanha pelo Estreito de Gibraltar, por isso é um destino muito explorado pelos europeus que buscam algo exótico. Além do deserto do Saara, o país tem paisagens encantadoras, assim como a arquitetura e a riqueza cultural e histórica. Tem muita coisa pra fazer: se perder pelas medinas, experimentar os pratos típicos, ver os souks, os tapetes e as bolsas feitos a mão.

As Medinas

Explorar o Marrocos significa passar muito tempo dentro de medinas. A medina é a parte antiga de todas as cidades, é um labirinto com tudo, tudo, tudo que você pode imaginar. De açougue a perfumaria, passando por inúmeros itens de couro, joias e roupas falsificadas. Tudo no meio de construções maravilhosas de mesquitas, palácios, bibliotecas e fontes. Durante a visita do grupo Só Para Mulheres, descobrimos alguns segredos. Todos os lugares têm um terracinho delicioso e é comum você ser convidado pelos vendedores para subir. Alguns dos riads e restaurantes mais chiques das cidades estão escondidos dentro das medinas. De fora você vê apenas uma porta como qualquer outra, mas quando entra é um oásis. Lindos jardins, pássaros cantando, uma paz enorme, no meio do caos completo.

A Gastronomia

A comida marroquina é muito gostosa, mas se mostrou um pouco cansativa. Também é importante estar preparada com remedinhos porque muita gente tem diarreia ou irritação no estômago em função do tempero . O menu de qualquer lugar é: couscous, tagine, kefta e brochete.

Algumas meninas se iludiram com alguns lugares bem populares que servem kebab, mas a experiência não foi legal. O tempero é diferente e vem uma certa miscelânea de salada, carne a batatas fritas, tudo dentro do pão.

 

O couscous é é nosso conhecido. Vem com legumes picados, com cebolas, uvas-passa, carne de vaca, frango ou cordeiro. O tagine (foto) é mais uma forma de preparar o prato, do que um prato em si. É uma base de cerâmica com tampa que vai ao forno e cozinha tudo junto. Tem de carne de vaca, frango ou cordeiro, vegetariano e ovo! A kefta é o que conhecemos como kafta. Só que servida em bolinhas, como almondegas, ou em formato de quibes. O brochete é o famoso espetinho. Tem de carne de vaca, cordeiro ou frango.

O que dá a sensação de ser uma comida cansativa é o tempero. Eles utilizam as mesmas especiarias para preparar todos os pratos, basicamente cominho, cúrcuma, conserva de limão siciliano e, como dito, azeitonas.

O que achamos sucesso absolutamente maravilhoso: as azeitonas (que estão a toda hora em todo lugar), o azeite de oliva (que infelizmente quase nunca vai à mesa), as tâmaras, o melão verde e pequenininho, as laranjas e tangerinas, e harira, uma sopinha servida de entrada em quase todos os lugares.

O que achamos a maior furada: centenas de cabras em todos os lugares e nenhum queijo! O que mais vimos foi o queijo processado tipo polenguinho. Tristeza.

A Viagem ao Deserto

Prepare-se, é um perrengue. Demora muito pra chegar mas o caminho é maravilhoso. Se puder faça o tour mais longo, dormindo pelo caminho. A volta geralmente é direta, bastante cansativo, mas vale a pena.

Escolha muito bem onde vai ficar. Faça uma malinha básica. Básica mesmo. Algumas empresas só deixam você levar uma mochilinha. É possível que você fique sem banho. Tudo depende de como o tour é organizado. O passeio de camelo não é tão confortável, mas é uma experiência. Não gostamos de como os camelos são tratados, então se é um amante de animais, deixe claro que você quer chegar até o seu acampamento de carro 4×4. Você vai dormir pouco. O barato é subir as dunas após o jantar para ver as estrelas e acordar bem cedo para ver o nascer do sol.

Dicas e Recomendações

Ir ao Marrocos não é moleza. É uma viagem complicadinha e com muita coisa que pode dar errado, então montamos algumas dicas pra você não cair em roubada.

– Faça tudo com um guia de uma agência de turismo séria. Deixe claro qual língua você quer falar e tudo o que você gostaria de fazer, incluindo refeições. As línguas oficiais são árabe, berbere e francês, não espere facilidade em se comunicar.

– Vá com tours e transferes comprados ou pelo menos agendados. Se locomover é um desafio e um desconforto só. Os taxis são sujos, não falam inglês, as vezes nem francês, se negam a ligar o taxímetro e cobram o que querem.

– Se prepare para demorar muito para percorrer poucos quilômetros. Nossa recomendação é fazer os deslocamentos de curta distância em carro alugado, de preferência com motorista privado; e os mais longos, de avião.

– Não dependa de wifi, se quer estar conectado compre um sim card local. Em todos os lugares, inclusive em bons hotéis, o wifi não funciona bem, ou não funciona. Nós encontramos por diferentes preços mas o padrão é 1G por 3 a 5 euros. Se vc comprar em uma lojinha, eles mesmos ativam, porque as instruções são em árabe ou francês. Depois vc pode ir recarregando se precisar.

– Se você não curte aventura compre todas as opções de luxo. É um país barato, aproveite.

Vantagens e desvantagens de fechar tudo no Brasil.

Você não passa perrengue. Foi tudo milimetricamente organizado pra vocês, do jeito que você gosta. Você paga em real e parcela tudo, não corre risco de andar com muito dinheiro, não sofre o risco de flutuação cambial, não é “roubado” pelos aproveitadores locais. Não perde tempo decidindo o que deve visitar, quando e como. Entretanto se você quer fazer economia, vai encontrar melhores preços por lá.

Curtiu? Então entre em contato com a gente!

Deixe um comentário

avatar