jul 5, 2021

Viagem com Pet

Quer saber como viajar com o seu pet de avião, de ônibus ou no seu próprio carro? A gente te conta!

NOSSA HISTÓRIA

Há 2 anos a nossa família aumentou com a chegada do Bolacha, um spitz alemão anão que foi muito bem planejado para caber nas nossas viagens.

O Pietro nos pedia um cachorro há muito tempo e nós tínhamos combinado que ele ganharia quando fizesse 18 anos para ganharmos tempo. É até maldade falar que ele ficou muito feliz quando conseguiu negociar o pet para quando ele fizesse 17 anos.

Mas tudo mudou quando nós 4 fomos ao shopping e, como de costume entramos no petshop para os meninos verem os cachorrinhos. Sem pretenção nenhuma o Pietro encostou na vendedora e começou a contar que os pais não gostavam de cachorro e por isso ele nunca teria um. Ele chorou de maneira bastante discreta até que fomos embora. Não preciso contar como eu e o Rodrigo nos sentimos… Fomos calados até em casa. Este era um ponto que já tínhamos conversado e ainda não era hora para termos um cachorro. Os meninos ainda eram bastante dependentes de nós e não queríamos mais uma função em casa.

Dois dias depois fomos viajar para Campos do Jordão. Quando os meninos dormiram no carro, o Rodrigo disse que tinha ficado com o coração partido pelo discurso do Pietro com a vendedora e que talvez fosse a hora da gente retomar o assunto. Eu quase explodi de alegria quando soube que ele se sentia como eu e que também gostaria de presentar nossos pequenos com um cachorrinho! Durante a viagem já liguei para amigos e começamos a nos informar.

Nós moramos em apartamento, então o tamanho do nosso pet era uma preocupação. A nossa idéia inicial era a adoção de um cachorrinho, mas todas as instituições que procuramos diziam a mesma coisa: “não é possível saber o tamanho que o pet ficará”. Então decidimos que era melhor escolhermos a raça e comprarmos o doguinho. O segundo passo foi pesquisar nos sites das cias aéreas as regras para que o pet pudesse viajar conosco. Eu acabo viajando bastante sozinha com os meninos, principalmente para o interior na casa dos meus pais. Então precisava que o pet pudesse ir conosco.

A Chegada do Bolacha foi a maior alegria e hoje somos todos apaixonados pelo nosso pet. Todas as viagens em que é permitido cachorro o Bolacha vai conosco. Pensando que este pode ser o seu caso, vou descrever aqui algumas dicas para você entender melhor o universo de viagem com Pet.

VIAGENS DE CARRO

Viajar com seu pet de maneira inadequada pode gerar multas e colocar a sua família em risco.

Regra No 1: o pet deve ir no banco de trás e deve estar preso.

Você pode escolher entre um cinto de segurança para cachorros, assento para cachorro ou uma caixa de transporte.

Nós optamos pela caixa porque o Bolacha é bem pequeno, pesa 2,8 kg. E como viaja conosco desde cedo vai quietinho do início ao fim da viagem.

Mesmo de carro você precisa levar um atestado de saúde e a carteira de vacinação com a anti-rábica dentro do prazo (de 30 dias a 1 ano da data da viagem). Se você for parado nas barreiras interestaduais estes documentos podem ser solicitados.

É importante levar água, biscoitinho ou ração e um brinquedinho para entretê-los. E mesmo na caixa é importante ter a coleira a mão porque você aproveita para coloca-lo para fazer xixi durante as paradas.

Este é outro ponto a se pensar. Quando você viaja com um pet vai ter que ter sempre alguém do lado de fora com ele quando parar para comer. Os restaurantes de postos de gasolina não aceitam animais de estimação.

Se o seu pet for um gatinho vale bater um papo com o veterinário antes da viagem. Gatos não gostam muito de mudanças e a viagem pode ser um trauma.

VIAGENS DE ÔNIBUS

A legislação do Departamento Autônomo de Estradas de Rodagem (DAER) determina que, com exceção de cães-guias, só os animais de pequeno porte (até 8 quilos) podem ser transportados em ônibus. Há limite de dois animais por veículo. Os pets devem viajar dentro da caixa de transporte junto ao dono.

Para o embarque é exigido o atestado comprovando a saúde do seu bichinho emitido em até 15 dias da data da viagem e a carteira de vacinação.

VIAGENS DE AVIÃO

Cada cia aérea tem uma regra específica para o transporte de pets, nem todas as raças são transportadas de avião. Nós recomendamos que você consulte as regras perto da sua viagem, porque elas podem sofrer alterações.

Aqui na Assessorato nós podemos te ajudar com a compra do bilhete e com a orientação da documentação necessária.

Em voos domésticos o animal precisa de um atestado com assinatura do veterinário e estar com a carteira de vacinação em dia comprovando a vacinação múltipla e antirrábica, além de tratamento com vermífugo.

ATENÇÃO: Não deixe de verificar as regras do local que você vai visitar, por exemplo, para entrar em Fernando de Noronha, você precisa também de uma autorização específica.

Em voos internacionais é necessária a apresentação do Certificado Veterinário Internacional e do Passaporte para Trânsito de Cães e Gatos que são expedidos pelo Serviço de Vigilância Agropecuária Internacional (Vigiagro).

Além disso, você precisa comprar uma passagem para seu pet e fazer a reserva no seu voo com antecedência.

ATENÇÃO: É importante pesquisar quais são os requisitos exigidos pelo país de destino. Alguns países exigem até mesmo o envio de sangue para laboratórios credenciados e a implantação de um microchip ou tatuagem, contendo um código de identificação.

No momento (julho/21), as regras divulgadas pelas cias brasileiras são:

GOL

A Gol é a cia mais preparada para o transporte de Pets com vários serviços exclusivos. Em parceria com a Cobase desenvolveram uma mala para o transporte de pet na cabine.

Pet na Cabine: para cachorros ou gatos que pesam até 10kg, com a caixa transportadora. O serviço pode ser contratado durante a compra da passagem. O valor é de R$ 250 para voos domésticos e R$ 600 para voos internacionais.

Pet + Espaço: para cachorros e gatos que pesam entre 10 e 30kg, com a caixa transportadora. O valor é de R$ 850 em voos domésticos e R$ 1100 em voos internacionais.

Gol Log: transporta todos os tipos de animais inclusive aves, peixes e animais silvestres.

No caso da Gol Log você pode contratar um serviço Sempre Comigo, que você pode acompanhar a viagem do seu pet através do WhatsApp dos guardiões dos animais, que são os responsáveis por acompanhar os pets durante a viagem. Você recebe mensagens, fotos e vídeos em tempo real e fica mais tranquila até o seu pet chegar ao destino. O serviço está disponível em alguns trechos e deve ser contratado no ato da reserva.

Eles disponibilizam caixas transportadoras em alguns aeroportos como Porto Alegre, Salvador, Guarulhos, Congonhas, Santos Dumont e Galeão. É possível consultar a disponibilidade da caixa adequada ao seu pet no momento da reserva.

A GOL não transporta no compartimento de cargas cães e gatos de focinho curto (raças braquicefálicas), por conta das características de seu sistema respiratório.

A Gol ainda oferece descontos para o transporte do seu pet até o aeroporto através do app Pet Driver.

LATAM

Para o transporte na cabine, o animal + a caixa devem pesar até 7 kg. A reserva deve ser feita por telefone ou pessoalmente na loja da Latam de 7 dias a 48h antes do seu voo. O serviço é sujeito a disponibilidade e você só poderá fazer o check-in no aeroporto.

As caixas devem seguir as seguintes medidas:

Caixa de transporte flexível: 36 cm de comprimento x 33 cm de largura x 23 cm de altura

Caixa de transporte rígida: 36 cm de comprimento x 33 cm de largura x 19 cm de altura

Para voos domésticos o valor do transporte é de R$ 200 e para voos internacionais pode chegar a USD 250.

AZUL

Cada cliente tem o direito de levar apenas um pet durante o seu voo. A bordo, são permitidos até três animais domésticos (cães e gatos) por voo, desde que tenham mais de quatro meses de idade e sejam transportados com segurança e em embalagem apropriada. Para este serviço é cobrada taxa de R$ 250,00.

O peso total (animal + container) deve ser de, no máximo, 5 kg. O animal deverá estar limpo, saudável e sem odor desagradável.

Para transporte de animais na Azul, são aceitos dois tipos de embalagem: o container rígido ou a mala flexível. As dimensões devem ser de, no máximo, 43 cm comprimento X 31,5 cm de largura X 20 cm de altura.

NO AEROPORTO

No aeroporto o pet deve estar sempre na caixa ou no seu colo. Apenas cães treinados para guiar deficientes visuais ou auditivos e cães de apoio emocional podem circular pelo saguão.

SOBRE AS CAIXAS DE TRANSPORTE

A caixa pode ser rígida ou flexível. A rígido deve ser de fibra ou plástico rígido resistente e a mala flexível deve ter hastes internas de metal para reforçar a estrutura e ser feita de material impermeável. A embalagem deve possuir dimensões internas de acordo com o tamanho do seu pet. Ele precisa ficar de pé e girar 360°.

Eu sempre coloco um tapete higiênico dentro da caixa. Assim se ele fizer xixi ou coco o estrago é menor.

CUIDADOS COM O PET DURANTE O TRANSPORTE

Alguns animais enjoam durante a viagem. A minha experiência com o Bolacha me mostra que é como viajar com criança. Eu procuro não dar comida muito perto do horário da viagem e sempre levo água. Se o seu pet enjoar muito converse com o veterinário e peça para ele prescrever algum remedinho. Aqui em casa, dependendo do trajeto, todo mundo toma alguma coisa antes de pegar a entrada rsrsrsr.

CUIDADOS COM O PET NO DESTINO

Não se esqueça de manter a carteira de vacinação sempre em dia. Se for para o Campo vale se prevenir contra pulgas e carrapatos. E se for para o litoral é sempre bom ficar atento a sinais

Curtiu? Siga nosso Instagram @assessorato_viagens.

Deixe um comentário

avatar